13/03/2016 às 14h11min - Atualizada em 13/03/2016 às 14h11min

Corpo de jornalista Berto Filho é velado no Rio

Reprodução Ego

O velório do jornalista Berto Filho acontece na manhã deste domingo, 13, no cemitério do Caju, na Zona Portuária do Rio. O apresentador da TV Globo nos anos 70 e 80 e narrador do Fantástico em dupla com Cid Moreira até 2004, morreu na tarde neste sábado, 12, aos 75 anos, após lutar contra um câncer.

Segundo informação do filho mais velho de Berto, Henry Lelot, o enterro será no mesmo local em que acontece o velório, às 14h. O jornalista completaria 76 anos neste domingo e deixa mais dois filhos: Michael e Roger. Ele estava internado no Inca, (Instituto Nacional do Câncer), em Vila Isabel, na Zona Norte do Rio.

Morte da esposa abalou Berto

Emocionado, Henry falou sobre o drama do pai nos últimos anos. "Quando se aposentou da Globo ele foi morar em Cabo Frio com a minha mãe, Marisa. Um tempo depois descobriu um câncer no mediastino. Ele se tratou no Inca, no Rio, onde foi muito bem atendido e ficou curado. Recebeu alta e voltou para casa. Mas aí minha mãe, que havia acompanhado todo o processo, que ficou doente. Ela fumava muito, teve um efisema e faleceu. Ele ficou muito abalado com a perda e acho que isso acabou debilitando mais a saúde dele. Eles foram casados por 56 anos, ela era a mulher da vida dele", contou o filho.
Com certeza ele está numa boa, foi encontrar a minha mãe. Eles foram casados por 56 anos, era a mulher da vida dele."

Henry, filho mais velho de Berto

A doença, então, retornaria ainda mais agressiva. "Dez meses após a cura a doença voltou, desta vez com metástase. Não deu mais para tratar. O tumor tomou a garganta e o cérebro. O da garganta tirou sua voz e o do cérebro tirou um pouco da consciência. Ele teve que deixar a casa de Cabo Frio e foi para o Retiro dos Artistas, onde foi muito bem cuidado até sua partida", disse Henry. "Com certeza está numa boa, foi encontrar a minha mãe", completou.

Livro a caminho

Henry contou ainda que o pai deixou um legado: um livro que escreveu durante a temporada em Cabo Frio, após a aposentadoria e antes da doença se agravar. E ele assumiu a missão de colocar a obra nas livarias.

Meu pai estava escrevendo um livro e eu fiz a promessa a ele de fazer o livro sair. Vou cumprir com muito orgulho, porque tenho muita admiração pelo meu pai."
Henry

"Ele passou um ano escrevendo este livro com a história dele e ensinamentos da carreira. Conseguiu finalizar, mas não publicar. Mas eu fiz essa promessa a ele. Disse 'pai, deixa comigo que esse livro vai sair'. Chama-se 'Trevo de quatro folhas'. É uma promessa minha para ele e eu vou fazer com muito orgulho, porque tenho muita admiração pelo meu pai. Sempre foi um pai muito presente e carinhoso, uma pessoa incrível do ponto de vista pessoal e profissional", disse Henry.

O jornalista carioca foi apresentador do Fantástico, Jornal Nacional, Jornal Hoje e o primeiro apresentador do RJ TV da capital fluminense.

Últimos dias no Retiro dos Artistas

Berto vivia desde 2014 como residente no Retiro dos Artistas, casa de repouso em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Na ocasião da mudança de Berto para o Retiro, Cida Cabral, administradora da casa de repouso, conversou com o EGO e contou que o jornalista chegou muito debilitado por conta do tratamento contra um cancêr. "Eu o conheci há três anos quando ele veio aqui pleitear uma vaga para irmã dele, que morava sozinha em São Paulo. De lá para cá, ele perdeu a irmã, a esposa, teve um AVC e descobriu o cancêr. Foram anos muito difíceis e ele está muito debilitado", contou ela, na época.

A funcionária contou que mesmo estando debilitado, o jornalista mostrava que a profissão ainda era fundamental para a sua vida. "Os médicos mandaram ele ficar em repouso e sem falar, mas ontem ele me sussurrou e pediu para deixar o computador com ele porque ele estava escrevendo o livro dele. É um cara iluminado e tenho fé que logo logo estará completamente recuperado", torcia Cida.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »